Atuais leituras

sábado, 19 de junho de 2010

O reservatório

(Falta uma citação de V. Nabokov)


Talita, menina dos olhos dos pais, da patroa, do(s) namorado(s). Talita, e em seu flanco o desejo inarredável do gozo e da sorte, e Freud, o gatinho das vizinhanças, que muro algum continha, era a sua flor mimosa, outra flor. Talita, Ta-li-ta, e expatriados os olhos de todos os Humbertos que a vissem na penumbra, da penumbra, nada obliteram. O presente já sabia qual, já sabiam todos há tempos, o carinho recebido por outrem como uma benção, todos desejavam o presente, dá-lo. Talita é seu aniversário todos os dias de sua vida, saberão lá o que é isso, uma primeira vez, aqueles que lhe aprouver. Talita, ou o capricho em pessoa, e espíritos zombeteiros a visitarem a tormentosa moça, sabidos, e lhe fecharem os olhos enormes.


Nenhum comentário:

Postar um comentário